Musica Livre

In 1984, um amigo musico falou: "se voce nao estuda musicas e estilos, o teu improviso nao cresce mais" e eu respondi: "quero ver!". Deste entao nunca mais interpretei ou compus, so improvisei sem regras, e mesmo assim, a musica cresceu e ficou bonita e harmonica... uma experiencia fantastica!

Nos ultimos anso, circulos de improviso se formaram em Salvador, primeiro no "quartinho" da minha casa na Federação, depois no morro da Sereia em varias casas. Nenhum dos participantes estudou musica e muitos nunca tocaram antes. As unicas regras sao: "toque de maneira que voce escuta os outros" e "nao toque musicas conhecidas"

Discobrimos que ajuda copiar ou interpretar o toque dos outros, principalmente quando sao timidos e tem pouca experiencia, pois se sentem levado a serio e contribuindo para o todo e continuam com mais firmeza...

Nestes grupos eu finalmente descubri a minha voz, que, aparte de uns minutos da 5a voz na banda Lizard so cantou sozinho no carro. No contexto selvagem dos circulos de improviso, experimentei todo tipo de som e descubri muito sobre mim e muitos dizem que a voz soa bonito - pois eh simplesmente e honestamente eu...

Ainda nao sei explicar como funciona improviso, mas me parece que qualquer um pode com qualquer coisa. Eh possivel fazer algo antes de pensar - ou entao pensando tao rapidamente que nao fique consciente antes do ato, entao sai algo que percebemos primeiro como aleatorio e so depois sentimos a profundidade e a grande diferente de algo realmente aleatorio.

Entao improvisar musica tambem ensina improvisar a vida, curitir coisas que aparentemente nao fazem sentido - e talvez fazem mais sentido do que coisas que tem uma razao suficientemente simples para as nossas mentes limitadas. Em 2001, uma experiencia fundamental no accidente <Gamboa danger> confirmou isto mais ainda: Nao temos como saber o que eh certo. Escolhe um caminho e voce raramente vai ficar sabendo como o outro teria sido! (bom, no caso na Gamboa certamente mortal....)